O que é a síndrome do olho seco?

A síndrome do olho seco é bastante comum na população, principalmente nas regiões onde predomina o clima quente e seco, com alta concentração de poeira no ar. Esta condição é mais comum em mulheres mais velhas.

A síndrome do olho seco é considerada uma anomalia na produção da quantidade e qualidade da lágrima que também lubrifica os olhos, a falta das mesmas causa um ressecamento da superfície do olho e pode danificar a córnea do paciente. Além de ser bastante incômoda e muitas vezes dolorida quando não há lubrificação suficiente.

Quais as Causas do Olho Seco?

As causas do Olho Seco geralmente estão associadas a fatores climáticos, como alta concentração de poeira no ar e pouca umidade. Porém até mesmo a alimentação pode piorar a síndrome do olho seco, mas mesmo sabendo alguns fatores não se tem de fato uma causa determinante.

Entre muitos dos sintomas que o paciente logo se queixa é a falta de lubrificação dos olhos, que ocorre pela falta de produção lacrimal. Como esta síndrome também está associada ao envelhecimento, geralmente mulheres a partir de 40 anos sentem mais os efeitos do olho seco sendo também uma consequência do uso excessivo de alguns medicamentos, antidepressivos, antialérgicos etc.

Os sintomas do olho seco são bem fáceis de serem notados e o diagnóstico é feito pelo oftalmologista, onde o mesmo realiza um exame nos olhos do paciente com o uso de alguns colírios especiais como fluoresceína, rosa bengala e/ou lisamina verde, assim é possível verificar se há produção de lágrimas suficientes nos olhos, caso contrário inicia-se o tratamento.

Sintomas do Olho Seco

Um dos primeiros sintomas da síndrome do olho seco é o desconforto nos olhos, seguido de vermelhidão e também visão flutuante devido à falta de lubrificação. Em casos mais graves também apresentam coceira ou dor leve, mas um dos principais sintomas visíveis é o aumento do muco ocular, a famosa remela.

Tratamento do Olho Seco

Somente o médico oftalmologista, com base na observação e exames efetuados, poderá tomar a decisão sobre o tratamento mais adequado para cada paciente.

Após o diagnóstico e constatação da síndrome do olho seco, o oftalmologista iniciará o tratamento com o uso de colírios para lubrificação ocular, realizando o papel de “lágrimas artificiais”, assim essa aplicação ajuda a aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

É indispensável identificar a causa da síndrome do olho seco e em casos mais graves se faz necessário o uso de antibióticos, anti-inflamatórios, pomadas, entre outros a fim de garantir a lubrificação do olho do paciente.

Indicações

Ao perceber os primeiros sintomas se faz necessário a consulta ao oftalmologista para a indicação do melhor tratamento. Pacientes com olho seco devem ter cuidados redobrados com o uso de lentes de contato, pois as mesmas precisam de lubrificação para não machucarem os globos oculares.

Caso a síndrome do olho seco não seja tratada de forma adequada poderão ocorrer lesões na córnea, que muitas vezes se tornam graves e irreversíveis ao paciente.

Perguntas Frequentes

A síndrome do olho seco tem cura?

Infelizmente esta síndrome não tem cura, mas com o diagnóstico precoce e o tratamento adequado o paciente pode ter uma qualidade de vida prolongada.

Qual é o sintoma mais frequente da síndrome do olho seco?

Os sintomas mais frequentes da síndrome do olho seco são o desconforto nos olhos, seguidos de vermelhidão e ausência da produção de lágrimas. Geralmente está associado ao clima de regiões muito secas e com alta concentração de poeira no ar, também é mais frequente em mulheres acima de 40 anos. Ao perceber tais sintomas o oftalmologista deverá ser consultado imediatamente para evitar que o quadro se agrave.

O que preciso alterar nos hábitos com a síndrome do olho seco?

Somente o oftalmologista poderá indicar o melhor tratamento para a síndrome do olho seco, porém existem hábitos que precisarão de cuidados quando se apresenta esta síndrome. A utilização do computador ou outros dispositivos digitais com muita iluminação, adaptação da luz em casa e no trabalho, e rotinas durante o dia e a noite, entre outros. Tais medidas ajudam a prevenir ou tratar o problema nos olhos causados pela síndrome do olho seco.